Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Bluegazine

O Blog da MEO Blueticket

18
Set18

20º Aniversário da Expo'98: Venham Mais 20 com Orquestra Metropolitana de Lisboa

imagem_bilheteira_1920x1080.jpg

Um grande concerto com a Orquestra Metropolitana de Lisboa que contará com Mário Laginha ao piano e Pedro Amaral com Maestro.

Venham mais 20 encerra as comemorações do vigésimo aniversário da Expo’98, um dos eventos mais marcantes de Lisboa, responsável pelas muitas mudanças na cidade e no país, nas arquiteturas e nas mentalidades.

Para este concerto, inspirado nessas mudanças e nessas novas realidades, a Orquestra Metropolitana recupera duas obras que testemunharam, também elas, um confronto com novas realidades: Sinfonia Do Novo Mundo, de Antonín Dvorák, e Rhapsody in Blue, de George Gershwin.

A pensar no futuro, para que venham, de facto, mais 20, a receita deste espetáculo reverte para a Associação dos Bombeiros de Cabo Ruivo, Nu Txiga – Associação Intercultural de Solidariedade Social e Secretariado Diocesano de Lisboa da Obra Nacional da Pastoral dos Ciganos.

No dia 30 de setembro, pelas 19h00, na Altice Arena, em Lisboa.

 

03
Jan18

Concerto de Ano Novo no Coliseu Porto com a Orquestra Metropolitana de Lisboa

concerto coliseu porto.jpg

Quem esteve no Concerto de Natal com a Metropolitana e o CORO SINFÓNICO LISBOA CANTAT sabe o quão especial foi. No próximo dia 6 de Janeiro, a Orquestra Metropolitana de Lisboa volta ao Coliseu Porto para um concerto com valsas, polcas e marchas.

 

Para entrar em 2018 com uma celebração a rigor, seguindo a tradição dos Concertos de Ano Novo na Sala Dourada da Musikverein de Viena. No sábado, 6 de Janeiro, às 21h30, a Orquestra Metropolitana de Lisboa traz até ao Coliseu Porto polcas, marchas, valsas, danças rústicas e contos de fadas de Tchaikovsky, Dvořák e Strauss, que todos já escutámos, quer em bailados, quer no cinema.

A conduzir esta festa musical vai estar o maestro Sebastian Perłowski, considerado “O Melhor Maestro da Ópera de Cracóvia dos Últimos Cinco Anos”.

A música de Johann Strauss II marca o compasso e finaliza o espetáculo, com a belíssima “Valsa Danúbio Azul”. Tchaikovsky e Dvořák ajudam nas honras da casa, contribuíndo com algumas das mais belas melodias de sempre. O concerto abre com "Capricho Italiano", de Tchaikovsky. Do compositor russo ouviremos também “Marcha”, “Valsa das Flores” e “Dança Russa”, três composições do bailado "O Quebra-Nozes".

Programa:

P. I. Tchaikovsky Capricho Italiano, Op. 45
J. Strauss II Polca Champanhe, Op. 211
A. Dvořák Dança Eslava N.º 7 em Dó Menor, Op. 46
P. I. Tchaikovsky Marcha, do bailado O Quebra-Nozes
J. Strauss II Perpetuum mobile, Op. 257
P. I. Tchaikovsky Valsa das flores, do bailado O Quebra-Nozes
W. Kilar Orawa, para orquestra de cordas
J. Strauss II Polca Eljen a Magyar! (Viva a Hungria), Op. 332
A. Dvořák Dança Eslava N.º 8 em Sol Menor, Op. 46
J. Strauss II Polca rápida Sob Trovões e Relâmpagos, Op. 324
P. I. Tchaikovsky Dança Russa (Trepak), do bailado O Quebra-Nozes
J. Strauss II Valsa Danúbio azul, Op. 314

 

Comprar

27
Dez17

Concerto de Ano Novo no Coliseu Porto com a Orquestra Metropolitana de Lisboa

concerto coliseu porto.jpg

Quem esteve no Concerto de Natal com a Metropolitana e o CORO SINFÓNICO LISBOA CANTAT sabe o quão especial foi. No próximo dia 6 de Janeiro, a Orquestra Metropolitana de Lisboa volta ao Coliseu Porto para um concerto com valsas, polcas e marchas.

 

Para entrar em 2018 com uma celebração a rigor, seguindo a tradição dos Concertos de Ano Novo na Sala Dourada da Musikverein de Viena. No sábado, 6 de Janeiro, às 21h30, a Orquestra Metropolitana de Lisboa traz até ao Coliseu Porto polcas, marchas, valsas, danças rústicas e contos de fadas de Tchaikovsky, Dvořák e Strauss, que todos já escutámos, quer em bailados, quer no cinema.

A conduzir esta festa musical vai estar o maestro Sebastian Perłowski, considerado “O Melhor Maestro da Ópera de Cracóvia dos Últimos Cinco Anos”.

A música de Johann Strauss II marca o compasso e finaliza o espetáculo, com a belíssima “Valsa Danúbio Azul”. Tchaikovsky e Dvořák ajudam nas honras da casa, contribuíndo com algumas das mais belas melodias de sempre. O concerto abre com "Capricho Italiano", de Tchaikovsky. Do compositor russo ouviremos também “Marcha”, “Valsa das Flores” e “Dança Russa”, três composições do bailado "O Quebra-Nozes".

Programa:

P. I. Tchaikovsky Capricho Italiano, Op. 45
J. Strauss II Polca Champanhe, Op. 211
A. Dvořák Dança Eslava N.º 7 em Dó Menor, Op. 46
P. I. Tchaikovsky Marcha, do bailado O Quebra-Nozes
J. Strauss II Perpetuum mobile, Op. 257
P. I. Tchaikovsky Valsa das flores, do bailado O Quebra-Nozes
W. Kilar Orawa, para orquestra de cordas
J. Strauss II Polca Eljen a Magyar! (Viva a Hungria), Op. 332
A. Dvořák Dança Eslava N.º 8 em Sol Menor, Op. 46
J. Strauss II Polca rápida Sob Trovões e Relâmpagos, Op. 324
P. I. Tchaikovsky Dança Russa (Trepak), do bailado O Quebra-Nozes
J. Strauss II Valsa Danúbio azul, Op. 314

 

Comprar

17
Dez17

Concerto de Natal no Coliseu Porto

concerto natal coliseu porto.jpg

 O Coliseu Porto abre portas ao concerto de música clássica de Natal  neste dia 18 de dezembro.

Será o regresso do Maestro argentino Leonardo García Alarcón a Portugal para dirigir a Orquestra Metropolitana de Lisboa.

Juntam-se a estes músicos o Coro Sinfónico Lisboa Cantat, dirigido pelo Maestro Jorge C. Alves, e os solistas Eduarda Melo (soprano), Carolina Figueiredo (mezzo-soprano), Marco Alves dos Santos (tenor) e André Henriques (barítono).

 A obra escolhida para ser interpretada é a famosa Messias de Georg Friedrich Händel .

 

Comprar

19
Set17

Concerto de Outono no Coliseu Porto

concerto de outono.png

O Concerto de Outono é o excelente pretexto para a Orquestra Metropolitana de Lisboa voltar ao palco do Coliseu Porto.

Sob a direção do maestro Pedro Amaral, acompanhado ao piano por Miguel Borges Coelho, este concerto, que marca a chegada do outono, tem data marcada para dia 29 de setembro, às 21h30, e conta com um programa clássico.

Será apresentada a Sinfonia Nº 1 de Brahms, obra que reflete a maturidade do compositor alemão, a Abertura Egmont com que Beethoven deu início à representação da peça teatral homónima de Goethe, em 1810 e o Concerto para Piano em Mi Menor que o jovem Chopin estreou em Varsóvia em 1830 e levou consigo até Paris, para se apresentar ao Mundo.

 

Instagram

Sigam-nos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Favoritos